quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

"Um rapaz na Arabândia", de Paulo de Miranda (com prefácio de Teresa Sousa Fernandes)


Com o livro "Um rapaz na Arabândia", o escritor Paulo de Miranda (pseudónimo literário do médico obstetra António Santos Paulo) dá início à colecção “Boa Onda”, dirigida especialmente aos jovens leitores, sob a chancela da editora Mar da Palavra.
..........................

APRECIAÇÃO CRÍTICA:
Quando conheci o autor, para mim o Santos Paulo, meu colega de profissão, médico obstetra, não consegui captar a sua sensibilidade tão desperta para coisas do Mundo… reconheço.
Através dum convívio profissional mais cuidado, consegui conhecer pedaços de si, inclusive a sua passagem por África nos primeiros anos da sua vida.
Foi uma fase de aprendizagem médica que terminada nos afastou, conhecemo-nos pouco.
Certo dia, já tinha eu publicado alguns livros, histórias de vidas a que fui sempre atenta e que ele conhecia, fui confrontada com um seu pedido que não pude recusar, longe de mim… ler e comentar o seu “Um rapaz na Arabândia”.
Fiquei surpreendida. A pouco e pouco, fui aprendendo os mistérios africanos, vários e variados, fui descobrindo um homem que não conhecia, uma África que ainda desconheço mas da qual já me sinto a saber muito.
Não consegui conter-me e incentivei-o à publicação. Merecia ser lido. Lido por todos.
Fiquei no momento indecisa a quem deveria ser dirigida a obra, mas pela fácil leitura, pela aventura, pelos ensinamentos colhidos, pelas sensações transmitidas pela voz de uma criança, o Tozé, recomendo a “Arabândia” a leitores dos seis aos sessenta anos.
Do primeiro capítulo – Como o Tozé conheceu o Mundo – destaco, para vos aguçar o apetite da leitura, o seguinte parágrafo:“Tozé estava completamente desconcertado com aquela novidade. O amigo explicou-lhe que quando um rapaz perfazia treze anos chegava à idade adulta. Para ser reconhecido como tal, tinha de ser iniciado como guerreiro. Era levado, com todos os outros, para fora da aldeia e tinha de aprender a viver sozinho na savana, caçando, seguindo pistas, percorrendo longos caminhos e não bebendo água durante vários dias. Ninguém o podia ajudar nesse período de tempo. Se chegasse ao fim das provas e fosse considerado digno de ser um guerreiro, era circuncidado, tinha direito a usar armas, a ter seu gado, a casar e a ter uma casa. Tozé inquietou-se”.
Mas este amigo… “este menino era estranho: tinha dez irmãos e irmãs do seu pai, mas da mãe era só ele e uma irmã. O pai tinha três mulheres (Tozé nem queria acreditar! Será que isso lá poderia ser?). Como o viu desconfiado, Mzili desafiou-o a ir a sua casa. Embora recordado de todas as recomendações da mãe, a tentação tomou conta dele e lá foram os dois”.
Claro que a “Arabândia” não tem só este capítulo, mas este é o começo do livro e de uma vida que marcou o autor, a prefaciadora, o pintor da capa, Paulo Santos de seu nome, também ligado à medicina através da informação médica e do seu não menos “stressante” percurso de vida.
Em suma, não me compete desvendar-lhes mais, só recomendar uma leitura cuidada, que vai ser apetecida do princípio ao fim, uma simbiose perfeita – Santos Paulo e Paulo Santos – escritor e pintor.

Teresa Sousa Fernandes
(médica e escritora)
.........................

AUTOR:
António Augusto dos Santos Paulo nasceu em 20 Janeiro 1958, na cidade de Bulawayo, na antiga Rodésia do Sul (hoje Zimbabwe). Viveu os primeiros anos divididos pela cidade (Bulawayo), por várias povoações mais pequenas e pela savana. Também viveu na Bechuanalândia (hoje Botswana) que, ao contrário da Rodésia, era governada pelos autóctones, embora com estatuto de protectorado. Aos sete anos, vem a Portugal e sente um enorme contraste entre as sociedades, tradições, usos e costumes, factos que influenciaram definitivamente a sua personalidade. Todas estas vivências enriqueceram a sua vida embora (compreensivelmente) lhe provocassem conflitos, dúvidas e dificuldades de adaptação. Mas sobreviveu e fez-se homem na simpática vila de Miranda do Corvo, de onde era originária a família paterna. Completou a escola primária (iniciada em África) em Miranda do Corvo, fez o ciclo preparatório da Escola Carlos Reis, na Lousã, e o Liceu em Coimbra. Entrou para a Faculdade de Medicina de Coimbra em 1978 e licenciou-se em 1984. Posteriormente, especializou-se em Ginecologia e Obstetrícia, domínio da sua profissão. É casado e tem dois filhos. Vive e exerce na cidade de Viseu, mas continua a ser de “alma e coração” africano e mirandense.
A escolha do pseudónimo de Paulo de Miranda tem por base um sentimento de gratidão pela terra que o viu crescer.
..........................

FICHA TÉCNICA:
Livro: Um rapaz na Arabândia
Autor: Paulo de Miranda
Capa: Pintura de Paulo Nogueira Santos
Editora: Mar da Palavra - Edições, Lda.
Colecção: Boa Onda (N.º 1)
PVP: 15,15 €
N.º de páginas: 128
Formato: 14,7 x 21,0 cm
ISBN: 972-8910-34-1 (EAN: 978-972-8910-34-1)
...........................


Registo de notícias e outras referências:
http://nasfaldasdaserra.blogspot.com/2008/04/paulo-de-miranda-lana-um-rapaz-na.html
http://nasfaldasdaserra.blogspot.com/2008/05/paulo-de-miranda-lana-um-rapaz-na.html
http://www.tempomedicina.com/Arquiv.aspx?Search=mar+da+palavra
http://www.wook.pt/ficha/um-rapaz-na-arabandia/a/id/203541

Sem comentários:

Enviar um comentário